Conteúdos programáticos / 1º SEMESTRE

Ilustração como meio de comunicação

O recurso aos sistemas de representação visual são, cada vez mais, um meio de acesso à inclusividade social, à transferência de tecnologia e à valorização simbólica das mensagens. Ao trazer esclarecimento à narrativa, a ilustração cumpre um diversificado espectro comunicacional condicionado pela especificidade do seu programa: a ilustração como projeto em design; a ilustração enquanto recurso expressivo do design e da comunicação; interpretação e resposta aos vários programas; semântica, sintática e pragmática da ilustração; o papel da ilustração na comunicação.


[Apresentar as potencialidades da ilustração enquanto meio da comunicação com os vários públicos e na adequação aos diferentes meios e suportes.]

Botânica Geral

Aspectos gerais do estudo das plantas quanto à forma (morfologia, interna e externa) e breve alocução à função (fisiologia) e desenvolvimento desde a fecundação (embriologia).
Plantas não vasculares: Briófitos – principais tipos de organismos, ecologia. 
Plantas vasculares sem semente: Pteridófitos – organografia, principais tipos de organismos, ecologia. Plantas vasculares com semente: Gimnospérmicas e Angiospérmicas — principais divisões do grupo e tipos de organismos, histologia, organografia, ciclo de vida, ecologia. Organografia: morfologia externa de raízes, caules, folhas, flores, frutos e sementes.
Introdução á botânica sistemática (taxonomia); a Flora de Portugal
.


[Aprender, identificar (sistemática e taxonomia) e compreender os principais grupos da fitodiversidade, processos ecológicos e funcionamento/tipologia das fitocomunidades, bem como os caracteres/componentes principais da anatomia externa e interna; aquisição de competências para gestão de informação no domínio da botânica que auxilie e credibilize a posterior tradução gráfica. Abordagem geral à Ficologia (micro e macroalgas) e Micologia (estruturas da reprodução sexuada - cogumelos).]​

Seminário I

Técnicas

de Ilustração I

Breve introdução ás técnicas de monotonais e policromáticas, em tonalidade descontinua e contínua; a escolha dos suportes (papel, película de poliéster estirado, scratchboard, etc.).Os materiais de risco — os lápis (de grafite, de carvão, de sanguina, de cor — aguareláveis ou não), o pastel. A tinta da China – o aparo, a caneta estilográfica, o pincel. O scratchboard – criar a construir e destruir. A técnica mista e a ilustração digital monotonal – a vectorização e conversão para mapas de bits (raster).


[Dar formação fundamental e aplicada e desenvolver e aperfeiçoar competências na execução e gestão das principais técnicas de ilustração e que melhor se adequem ás temáticas passíveis de serem figuradas através da ilustração científica (tendo em consideração também o suporte de reprodução da imagem desenhada).]

Ilustração Botânica

História da ilustração  botânica e objetivos na Arte de representar plantas; a organografia e a textura na representação de elementos macroscópicos. O hábito, as projeções no plano de cada elemento (raízes, caules, folhas, flores, frutos e sementes) e suas articulações relacionais; a perspetiva, proporção, luz e sombra. Desenho de detalhes morfológicos e a representação de estruturas anatómicas. A representação dos vários grupos de plantas – briófitas, pteridófitas, gimno/angiospérmicas: herbáceas, arbustos e árvores. A prancha botânica enquanto composição. A infografia. A representação das algas microscópicas e macroscópicas. 


[Aplicar os conhecimentos adquiridos  na área da botânica através do desenvolvimento de projetos centrados no desenho de elementos (órgãos) e/ou entidades botânicas (anatomia externa/interna/reprodutivos/fisiológicos/outros, de uma espécie vegetal, ou ainda de uma alga e/ou fungo), de elementos vivos e/ou conservados (herbários, em liquido, outros), através do desenho de observação ou com recurso a instrumentos de ampliação (microscópio estereoscópico com câmara clara, etc.)].​

Apresentação e desenvolvimento de tópicos contemporâneos, alguns dos quais constituirão ferramentas práticas e/ou pedagógicas, capazes de alicerçar a compreensão/criação /execução da Ilustração Científica enquanto incisiva plataforma gráfica nos domínios da comunicação e divulgação da Ciência. 


[Ministrar formação básica, motivando a compreensão e articulação de aspectos basilares e/ou avançados nas áreas da (seminários equacionados): Fotografia Científica e da Natureza; Comunicação Científica; História da Ciência através da imagem; Pensar Ciência & Imagem; Design. Recorrendo a pluridisciplinaridade, procurar criar redes de intercâmbios centradas na interdisciplinaridade, unificadas através da transdisciplinaridade.].​